Khalid lollapalooza 25/3

lollapalooza 25/3

Normalmente tudo acontece pela primeira vez no ensino médio. É a primeira vez atrás ao volante, o primeiro gosto da liberdade e o primeiro amor. Ainda que não esteja muito longe desses dias, aos 19 anos, o cantor e compositor texano de El Paso Khalid revisita seu tempo no álbum American Teen [Right Hand Music Group/RCA Records]. Isso reflete o espírito de clássicos como Clube dos Cinco e Barrados no Baile através de um caleidoscópio pop do século 21 e sua educação em uma família militar.

“Do começo ao fim, é a história do típico adolescente passando por um dia típico no ensino médio”, ele explica. “Neste dia e idade, as pessoas mais jovens enfrentam muitas dificuldades, sejam elas problemas mentais, problemas de relacionamento ou simplesmente a realidade. Eu queria direcionar tudo isso em uma linguagem que alguém mais novo do que eu pudesse entender, mas isso também pode ser traduzido para alguém um pouco mais velho. Ensino médio era a mesma coisa todo o dia, talvez com uma história um pouco diferente.”

Na véspera de sua própria graduação, Khalid criou um genuíno hit em forma de single no lançamento do álbum “Location”. Isso gerou mais de 26,5 milhões de streams no Spotify e 4 milhões de visualizações no YouTube, recebeu elogios de Nylon, Pigeons & Planes, Earmilk, DJ Booth e outros, além de aparecer de forma proeminente nos Stories do Snapchat de Kylie Jenner, P. Diddy e Rita Ora. Como “Location” tornou-se um hino do século XXI, ele conseguiu um grande acordo com a Right Hand Music Group / RCA Records.

Agora, o álbum pinta uma imagem moderna de crescer na era do Uber e do Instagram. Com a sua produção de sonho e sintetizadores brilhantes, a faixa-título resume o tema central.

“É a minha própria música de pré-graduação”, diz ele. “É tudo sobre ser um adolescente americano. Você consegue ver seus amigos desmaiados em uma viagem no Uber. Você nunca vai ter o seu último ano de ensino médio de novo – ao menos você não deveria”, ri.

Ainda, a primeira música que ele escreveu, “Saved”, une o zumbido da guitarra com uma performance vocal quente, enquanto que “Young Dumb & Broke” encoraja a abraçar aquela liberdade jovial em meio ao mal-estar suburbano.

“Hopeless” representa sua “interpretação musical da cor azul”, e “Coaster” traz uma confissão crua e emocional. Uma mistura de palmas e o fogo do piano, “Let’s Go”, como ele canta: “este é o começo de algo incrível. Talvez estejamos meio atrasados, mas estamos no nosso caminho”.

“Esta é a faixa de pós-graduação”, ele explica. “Eu nunca imaginei que estaria onde cheguei. Eu pensei que me tornaria um professor de música. Eu sequer sonhava que poderia ser um artista. Tem o senso de manifestação, algo no qual acredito muito”.

Com a mãe de Khalid cumprindo serviço militar, ele passou a maior parte de sua infância se mudando de estado para estado, de país para país. Depois de morar em Heidelberg, na Alemanha, por seis anos, sua família foi para Fort Drum, em Watertown, Nova York, durante o seu oitavo ano do colégio. Enquanto isso, sua mãe se mostrou ser uma grande influência musical em Khalid. Ela sempre cantou pela casa e tocou clássicos de Brandy, SWV e Destiny’s Child para seu filho. Com base na paixão de sua mãe pela música, ele construiu sua própria estética, cultivada por suas viagens e experiências culturais. Pelo caminho ele se tornou fã de artistas como Father John Misty, Grizzly Bear, Fleet Foxes e The High Highs. Seu gosto musical diversificado promoveu o tom distinto de sua juventude aventureira para quebrar barreiras.

Durante o seu último ano de ensino médio, ele foi forçado a se realocar novamente: desta vez para Fort Bliss, em El Passo, Texas. Khalid transformou um dos momentos mais depressivos de sua vida em melodias maravilhosas e letras poéticas, inspiradas em todas as amizades fragmentadas pela realidade nômade de uma família militar.

Se adaptar não seria fácil. Porém, de todos os lugares em que ele morou, ele superou um de seus maiores medos em El Paso, compartilhou seus sentimentos e experiências pessoais com completos estranhos – sem saber como eles reagiriam – pela primeira vez. Felizmente, seus novos amigos receberam de braços abertos suas histórias (e o garoto com o cabelo esquisito e gosto estranho para a moda). Khalid finalmente se sentiu em casa, rodeado por todo aquele amor.

Agora, American Teen e sua turnê Location já marcaram o próximo capítulo da sua jornada.
“Com este álbum, quero mostrar a todos que não há problema em ter emoções, ser feliz ou triste”, ele conclui. “Sinto como se muitas pessoas tivessem medo de se abrir e a ‘moda’ é ser frio. Estou jogando na mesa tudo o que passei. Estou dando a todos como foi o ensino médio e minha vida. Estou ansioso para como será de 2017 em diante. Estou ansioso pela música, por criar novas experiências, fazer amigos e voltar para El Paso depois que tudo acontecer. Será incrível”.

lollapalooza
Dias 23, 24 e 25 de março no Autódromo de Interlagos

Categorias
AGENDE-SE

CEO, Founder and Storytelling | BOONGOO.com.br | LBF
Sem comentários

Deixe uma resposta

*

*

RELACIONADO POR